Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Chagas diz que a intenção do programa é capacitar servidores que não têm curso técnico.

Brasília – O programa Profuncionário, do Ministério da Educação, voltado para a educação básica, pretende beneficiar, neste ano, 26 mil servidores da rede estadual ou municipal, com cursos de capacitação em mais dez estados brasileiros. Até o ano passado, o programa funcionava em 155 municípios de 17 estados.

 O objetivo é profissionalizar servidores que não têm curso técnico. Com a expansão do programa, mais 91 municípios vão ter acesso aos cursos. A capacitação oferece aulas para profissionais como merendeiras, lixeiros, secretárias, faxineiros e vigias.

O secretário de educação básica do Ministério da Educação, Francisco das Chagas, diz que a intenção do programa é capacitar servidores que não têm curso técnico. ?Nas escolas temos funcionários que não são professores, nem profissionalizados. Por exemplo, o vigia, a merendeira. Nós vamos capacitá-los para que se tornem profissionais?, completa.

Cada estado tem uma coordenação formada pelas secretarias estadual e municipal, sindicato local e pelo conselho estadual. Essa coordenação define os critérios de participação, como número de vagas por municípios. Mas, para concorrer à capacitação, o servidor tem que trabalhar na rede estadual ou municipal e ter o ensino médio concluído ou estar cursando a oitava série do ensino fundamental.

Na primeira etapa, o curso oferece aulas de história e teorias da educação, informática, produção textual, direito administrativo e do trabalho. As outras etapas focam na área que o trabalhador vai se especializar.

O encerramento das inscrições para a capacitação é definida pelas coordenações de cada estado. Os estados que vão se beneficiar são: Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Amazonas, Amapá, Roraima, Espírito Santo, Sergipe, Minas Gerais e Distrito Federal.