Os professores universitários temem que a reforma previdenciária enxugue ainda mais o quadro de docentes. A questão foi um dos temas debatidos hoje pela diretoria do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes), o ministro da Educação, Cristovam Buarque, e o secretário de Educação Superior, Carlos Antunes.

A estimativa é que 20% dos professores resolvam se aposentar caso seja aprovado o projeto lei complementar que prevê a taxação dos inativos. Com isso, o problema da falta de professores tenderia a se agravar.

A diretoria da Andes também aproveitou o encontro com o ministro para requerer reajuste linear emergencial de 46,95%, referentes a perdas de junho de 1995 a maio de 2003. Segundo o presidente da Andes, Luiz Carlos Gonçalves Lucas, as perdas reais correspondem a 122% dos salários de 42 mil professores que estão na ativa.