O desempenho da indústria automotiva brasileira foi forte em julho, compensando o desempenho de junho que frustrou o setor, por causa do período de Copa do Mundo, afirmou nesta segunda-feira (07) o presidente da Associação Nacional de Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Rogelio Golfarb.

Em julho, a indústria bateu recorde histórico de produção para o mês. "Foram fabricados 222,4 mil unidades no País, marca nunca alcançada antes no mês", destacou.

"O resultado dos licenciamentos também foi o melhor para o mês nos últimos dez anos e só não foi recorde porque tivemos meses melhores em 1997", disse Golfarb.

A produção acumulada entre janeiro e julho deste ano de 1,52 milhão de unidades também é a maior já apurada pela Anfavea. Para 2006, a entidade manteve a projeção de crescimento do mercado de veículos no País em 7,1%, com expansão da produção em 4,5% e de avanço do faturamento das exportações em 2,7%.

Exportações

Embora apresente alta do faturamento com exportações, a indústria automotiva brasileira não observa o mesmo comportamento quando analisada a comercialização externa de veículos e máquinas agrícolas em volumes de unidades, conforme revelou a Anfavea.

"As empresas estão ajustando seus preços no exterior, por causa da valorização do câmbio, e os compradores estão diminuindo os pedidos. Não veríamos a queda de volume, se os compradores estivessem dispostos a pagar mais pelo mesmo produto", observou.

Na relação de julho de 2006 sobre o mesmo mês do ano passado, enquanto as exportações somadas de veículos e máquinas agrícolas cresceram 11,6% em faturamento, saltando de US$ 947,71 milhões para US$ 1,05 bilhão, o volume de veículos (leves, caminhões e ônibus) exportados cedeu 5,1%, recuando de 80,28 mil unidades em julho de 2005 para 76,21 mil em julho deste ano

Já as vendas externas de máquinas agrícolas recuaram 35,3%, em unidades, na comparação de julho deste ano sobre o mesmo mês do ano passado. Se em julho de 2006 as exportações de máquinas agrícolas estiveram em 1,76 mil unidades, em julho de 2005, estavam em 2,72 mil unidades.

Em relação a junho de 2006, as exportações por unidade de veículos subiram 6,9%, uma vez que, naquele mês, 71,27 mil unidades foram exportadas, enquanto que em julho, o volume atingiu 76,21 mil unidades. Em máquinas agrícolas, em julho ante junho de 2006, houve recuo de 15,7% no volume de unidades exportadas, recuando de 2,08 mil unidades, em junho, para 1,76 mil em julho.

Por conta desta queda de ritmo de exportações em unidades, o presidente da Anfavea admite que a projeção de crescimento de 4 5% da produção de automóveis em 2006 poderá ser revista. "Entre janeiro e julho deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, a produção de veículos cresceu 4,4%, resultado abaixo da meta, por conta da queda de exportação em unidades. Poderemos rever a projeção de produção para o ano por causa dessa queda de exportações unitárias", explicou.