Os 21 acusados de participar da máfia dos jogos ilegais presos na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília, devem ser transferidos para o presídio federal de segurança máxima de Campo Grande (MS). A transferência vai ocorrer depois deles prestarem depoimento quinta-feira no Rio, mas ainda não há data confirmada.

Após serem ouvidos, eles serão transferidos para presídio federal de segurança máxima em Campo Grande (MS), a segunda do gênero estabelecida pela União, no final de 2006. A tendência, segundo policiais, é que os depoimentos durem mais que um dia, pela quantidade de pessoas a serem ouvidas.

A apuração da venda de sentenças judiciais em benefício de proprietários de máquinas caça-níqueis foi dividida em duas frentes: o Supremo Tribunal Federal (STF) vai tratar do envolvimento do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Paulo Medina, e de três outros magistrados e um procurador no esquema. O caso dos demais envolvidos, entre bicheiros, empresários e policiais, ficará com a 6ª Vara de Justiça Federal do Rio de Janeiro.