LULA2010606.jpgO presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje que ficou satisfeito com a conversa que teve ontem com o presidente do PMDB de São Paulo, Orestes Quércia, mas negou ter oferecido a vice-presidência da chapa do PT para o partido. "Não entramos em detalhes, porque isso não é acordo entre trabalhador e empregador. Você não pode dizer o que quer, a toda hora, porque cada vez que você abrir a boca, aquilo passa a ser o patamar", afirmou Lula, em entrevista ao deixar o hotel onde está hospedado para cumprir longa agenda no Amazonas.

Ao ser questionado sobre o destino do atual vice, José Alencar, Lula disse ele está em todas as suas discussões políticas. A uma pergunta se haveria condições de Alencar ser aceito pelo PMDB para vice num segundo mandato, Lula preferiu elogiá-lo. "O Zé Alencar é um companheiro da mais alta qualidade. Sou grato a tudo o que ele fez e está fazendo", disse. "O Zé Alencar é um companheiro que cabe em qualquer lugar, desde o meu coração até a vice, até qualquer outro cargo", acrescentou.

Lula destacou que também trabalha com a possibilidade de uma aliança informal com o PMDB. "Aprendemos que política é mais dinâmica do que qualquer outra coisa. Aquilo que é impossível hoje se torna realidade amanhã". Lula disse porém que no encontro com Quércia ressaltou que o PT trabalha "fortemente" com a idéia de aliança formal com o partido. "Se vai ser possível não sei, porque tem problemas nos estados. Só não podemos permitir que o interesse regional atrapalhe o projeto nacional", afirmou.