O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marco Aurélio Mello, disse nesta quarta-feira (16)  que a regra da reeleição que permite aos governantes continuarem em seus cargos durante a campanha eleitoral provoca um desequilíbrio na disputa. "Gera um desequilíbrio, que é latente. É o que se denomina maior valia", afirmou.

Segundo Marco Aurélio, pela legislação os governantes podem visitar, inclusive, repartições públicas no período eleitoral, a exemplo do que ocorreu nesta quarta-feira com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele esteve na sede do Banco do Brasil, onde, em clima de campanha eleitoral, foi recebido por funcionários. De acordo com o ministro, a legislação não proíbe esse tipo de visita.

O presidente do TSE já havia se manifestado recentemente contra a reeleição. Na ocasião, ele elogiou a aprovação pelo Senado de uma proposta de emenda constitucional que acaba com a reeleição. Marco Aurélio disse que quem disputa a reeleição e permanece no cargo confunde os papéis de governante e candidato, acaba cometendo abusos, o que pode desequilibrar a disputa. "O próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva diz que não sabe quando é candidato e quando é presidente. Aí surgem os incidentes", afirmou o presidente do TSE na ocasião.