Terminou depois de quase quatro horas, o depoimento do presidente do PP, deputado Pedro Corrêa (PE), à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito que investiga a compra de votos.

Por diversas vezes, ele afirmou que o dinheiro recebido do PT foi usado para pagar o advogado responsável pela defesa do deputado Ronivon Santiago (PP-AC), alvo de acusações do Partido dos Trabalhadores no Acre. Nas contas de Corrêa, o PP recebeu R$ 700 mil. O empresário Marcos Valério apresentou um valor mais alto: R$ 4,1 milhões.

"O Genu [João Cláudio Genu, assessor do PP] foi só o mensageiro, o mula, que pegou o dinheiro no Banco Rural e uma vez no hotel. Tenho conhecimento de três idas dele ao banco para pegar o dinheiro. Se ele foi mais vezes, foi para resolver problemas particulares", disse o deputado pernambucano. "Fizemos as coisas muito às claras. O Genu assinou os recibos. Não tínhamos a intenção de esconder nada."