O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje a uma platéia de empresários brasileiros e ingleses que o Brasil está preparado para aumentar os negócios com o Reino Unido.

"Os empresários brasileiros e o governo brasileiro estão prontos e preparados para retomar, com mais força que em qualquer outro momento da sua história, as relações com o Reino Unido", disse o presidente, ao encerrar o seminário empresarial Brasil-Reino Unido.

Antes, ao visitar a exposição Tropicália, o presidente já tinha conclamado os britânicos a aplicar mais recursos no Brasil. Lula voltou a dizer que os rumos da economia não vão mudar por causa do ano eleitoral e garantiu aos empresários que a política econômica e o "toque de seriedade" do seu governo. "O Brasil goza hoje de uma solidez institucional que nos permite encarar com tranqüilidade um ano como este, marcado por eleições gerais no país", afirmou.

O presidente voltou a dizer que as atuais condições da economia brasileira, internas e externas, permitem ao país dar um salto qualitativo nunca antes visto na história. Ele citou as conquistas de seu governo, como reducao da inflação, risco-país, dívida e desemprego.

Além disso, destacou que o Brasil é uma porta para investimentos na América do Sul. "As oportunidades de negócio que oferecemos não param em nossas fronteiras. O Brasil torna-se plataforma privilegiada para acesso a um mercado regional de mais de 300 milhões de habitantes, com um PIB (Produto Interno Bruto) superior a US$ 1 trilhão.

E as oportunidades de investimento também estão aqui, no Reino Unido, que pode ser sócio privilegiado para as empresas brasileiras em sua estratégia de expansão internacional".

Ele afirmou ainda que seu governo vai continuar aperfeiçoando o ambiente de negócios no Brasil. "Não basta a eleição de um presidente ou a escolha de um ministro da Fazenda, o que vai motivar um empresário do Reino Unido a fazer parceria com um empresário brasileiro é a seriedade e o comportamento do empresário brasileiro". O evento reuniu cerca de 300 empresários dos dois países.