Rio de Janeiro – O presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, reafirmou nesta terça-feira, em palestra para executivos do mercado financeiro, que a estatal manterá a sua política de não transferir para o mercado interno as oscilações no preço do barril de petróleo no mercado internacional. Admitiu, no entanto, a possibilidade de promover reajustes, se necessário, desde que se configure um novo patamar no preço do barril do produto no exterior.

Segundo Gabrielli, os preços praticados atualmente pela companhia nas refinarias em todo o país estão no mesmo patamar dos valores praticados internacionalmente. "A nossa política é de minimizar a volatilidade (oscilação) de preços no mercado interno, mas não podemos descolar os preços do mercado internacional. Isto quer dizer que não podemos passar muito tempo com os preços nem muito acima, nem muito abaixo do mercado internacional, pois levaríamos a que outras empresas, na primeira hipótese, importariam o produto para vender aqui no mercado interno; e na segunda, comprariam os produtos da Petrobras para exportar?.