O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP) recuou sobre a questão do salário dos parlamentares. Ele havia declarado que colocaria "em breve", e que se possível seria um dos primeiros projetos a ser votado na Casa, o aumento salarial dos deputados. Nesta segunda-feira (5), no entanto, disse que esse assunto não será discutido amanhã, na reunião de líderes.

Por trás desse recuo está o temor de um desgaste para a Casa, ainda na primeira semana dos trabalhos sob seu comando. "Vou propor aos líderes que reúnam com suas bancadas. Quero ouvir a opinião dos líderes de novo e a questão vai a plenário, isso não é prioridade", afirmou.