O presidente da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), Carlos Chagas, condenou hoje a matéria publicada no jornal New York Times sobre o suposto envolvimento do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com bebidas. Para o jornalista e professor de ética da Universidade de Brasília (UnB), trata-se de uma invasão de privacidade injustificada, baseada em boatos e rumores.

Em debate na Comissão de Desenvolvimento Econômico da Câmara dos Deputados, Chagas defendeu a imediata regulamentação do Artigo 220 da Constituição de 1988. “Esse artigo prevê punição para a imprensa que erra. De multa a suspensão de concessões”, explicou o jornalista.