Os preços caíram com menos intensidade em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), segundo apurou o Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S). A taxa ficou estável apenas em Salvador, que registrou 0,05% na primeira semana de julho, conforme divulgou hoje (11) a FGV. 

Em São Paulo foi verificada a maior variação do IPC-S, que passou de ?0,64% em junho para ?0,39% na primeira leitura de julho. Em Brasília, Porto Alegre, Recife e Rio de Janeiro os preços também continuaram em queda, ainda que não tão acentuada. Na capital federal, a taxa passou de ?0,67% para ?0,53%; na capital gaúcha, o IPC-S passou de ?0,18% para ?0,10%; em Recife, de ?0,27% para ?0,21%, e no Rio de Janeiro, de ?0,47% para ?0,32%.

A inflação em Salvador se manteve estável em 0,05% e Belo Horizonte foi a única capital a apresentar taxa positiva. O IPC-S da capital mineira ficou em 0,32%, ante 0,13% registrado na última apuração.

Em comunicado divulgado ontem (10), a Fundação Getúlio Vargas informou que o IPC-S de 7 de julho foi de -0,23%, 0,17 ponto percentual a mais do que na última semana de junho (-0,40%). A deflação foi puxada pelos alimentos, cujos preços continuaram em queda apesar de leve aceleração.

A primeira leitura do IPC-S de julho foi feita com base nos preços coletados entre os dias 8 de junho e 7 de julho e comparados aos vigentes de 8 de maio a 7 de junho em sete capitais brasileiras.