A estimativa de aumento de quase 27% na produção de grãos no Paraná vai estimular diretamente as exportações pelo Porto de Paranaguá. Técnicos da Secretaria da Agricultura do Paraná estimam que só os embarques de soja e milho vão apresentar um crescimento de perto de 30% em virtude do aumento no cultivo no Paraná, no Paraguai e no Mato Grosso do Sul. No ano passado, os dois produtos somaram 7,4 milhões de toneladas exportadas.

Nesta terça-feira (06), o navio ?Grain Express? carregou 60,2 mil toneladas de soja com destino a Amsterdã. Para as próximas 48 horas, está sendo esperado o navio liberiano Yangtze River, que carregará 42 mil toneladas para Liverpol. Ao largo, aguardando para atracar, seis embarcações devem embarcar nos próximos dias mais de 330 mil toneladas do produto. Desde o começo do ano, as exportações de soja pelo porto paranaense já chegaram a 433.871 toneladas.

Para atender com eficiência o escoamento de grãos, o Porto de Paranaguá se prepara com antecedência, realizando a manutenção preventiva nos berços de atracação, no Corredor de Exportação e nos equipamentos que integram o sistema. Entre novembro e fevereiro de cada ano é realizada uma revisão geral das partes mecânica e elétrica, além da limpeza, lavagem, pintura, reparos de equipamentos, substituição de peças e instalação de novas.

Comércio externo – Em 2006, o Porto de Paranaguá exportou 4.046.803 toneladas de soja em grão. Deste total, 3 milhões vieram das plantações paranaenses que apresentaram no ano passado uma produção de 12,7 milhões de toneladas. Segundo o engenheiro agrônomo da Secretaria da Agricultura, Otmar Hubner, o Paraná deverá exportar em 2007 de 4 milhões a 4,5 milhões de toneladas de soja pelo porto. ?As exportações deverão ser impulsionadas pelos preços praticados no comércio externo, que está aquecido neste momento?, explica Hubner.

Atualmente a saca de 60 quilos está sendo comercializada a R$ 29 em média no Paraná, mas o valor pode cair em virtude do aumento da produção. No Estado, os preços variam de R$ 28 a R$ 32 a saca.

Milho – Há exatos sete anos, o Paraná firmou-se como o maior exportador de milho do país. Hoje é responsável por 70% a 80% do cultivo nacional. Em 2006, as exportações paranaenses alcançaram patamares que confirmaram a posição de destaque, com 3,4 milhões de toneladas embarcadas, o equivalente a 76% das exportações brasileiras.

Segundo a engenheira agrônoma Margorete Demarchi, também da Secretaria da Agricultura, o último dado apresentado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) mostra uma estimativa de exportação de 6,5 milhões de toneladas de milho. ?O Paraná poderá responder por 4 milhões de toneladas deste total, volume 30% superior ao ano passado?, calcula.

O aumento é resultado da representatividade do Paraná no mercado nacional e do potencial produtivo do Estado. Apesar de ainda faltar 70% da safra de milho para ser colhida e a safrinha ainda estar sendo plantada, nossa expectativa é positiva e aponta para novo recorde de exportações?, diz ainda Margorete.

Desde janeiro até o início desta semana, o Porto de Paranaguá exportou 443.070 toneladas de milho, volume 200% superior ao verificado no mesmo período de 2006, quando foram embarcadas 147.395 toneladas do produto.