O presidente do Real Madrid, Ramón Calderón, voltou à carga para contratar o meia brasileiro Kaká, do Milan, e cumprir sua principal promessa na campanha eleitoral do clube, em julho. "Se um dia ele quiser jogar aqui, as portas estarão abertas", avisou o dirigente, em entrevista ao jornal italiano La Gazzetta dello Sport.

Calderón, no entanto, já avisou que não pretende criar intrigas com o Milan, cujo vice-presidente, Adriano Galliani, chamou os cartolas do Real de "bandidos", em agosto, quando o clube intensificou seus esforços para contratar Kaká – que, durante a Copa do Mundo, renovou seu contrato com o Milan até 2011.

O presidente do Real desmentiu, no entanto, que o clube tenha feito uma proposta oficial ao Milan ou aos representantes do jogador – que, segundo seu diretor esportivo, Predrag Mijatovic, estaria disposto a conversar. "No verão, Mijatovic me disse que ele teria escutado com disposição uma proposta nossa", afirmou Calderón.

Na semana passada, Kaká disse que não tinha interesse de deixar o Milan, ao qual diz se sentir "muito ligado", e disse que entre seus objetivos está assumir futuramente a faixa de capitão da equipe – hoje com Maldini, que avisou hoje que pode pendurar as chuteiras no fim da temporada européia em junho.