Arquivo
Josete: sem emendas.

Projeto de lei que prevê reajuste dos professores da rede municipal de ensino será votado hoje. Após negociações entre a prefeitura e Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismmac), a proposta corrige os salários em 8,69%. O índice será adicionado aos 10% a serem pagos a todos os servidores da prefeitura, conforme texto aprovado na semana passada na Câmara. Esse diferencial é fruto da não adesão dos servidores ao Programa de Produtividade e Qualidade (PPQ). Com isso, a remuneração mínima do professor curitibano, com jornada de 20 horas, passa para R$ 1.434,62.

O projeto deve ser aprovado por unanimidade. Segundo a vereadora Professora Josete (PT), integrante da oposição, não haverá emendas ao projeto. “A princípio não teremos alterações, porque esse reajuste é fruto da greve dos professores e a classe conseguiu, após as negociações, que a verba prevista para o PPQ fosse usada integralmente para reajuste salarial”, diz.

Avanço

Para Silmara Carvalho, diretora do Sismmac, a classe está satisfeita com o projeto, principalmente pelo sistema PPQ. “Nós não trabalhamos com mercadoria ou produtos, portanto, considerávamos errada essa forma de avaliação. Além disso, a PPQ não incorpora na aposentadoria, independente do valor. Então foi um avanço que tivemos para a nossa classe”, afirma.

Após a votação, o projeto deve ser sancionado pelo prefeito Luciano Ducci até o fim da próxima semana, já que a Lei Eleitoral proíbe reajustes acima da inflação nos seis meses que antecedem as eleições.