Nani Góis/Assembleia Legislativa
Valdir Rossoni será encarregado por Beto Richa de ir aos municípios em que haverá disputas com os aliados.

Visto como o cabo eleitoral número um nas eleições municipais do próximo ano no Estado, o governador Beto Richa (PSDB) deverá ficar longe de muitos palanques de aliados em 2012. Para escapar à “saia justa” que as disputas entre os aliados vai gerar, Beto deve escalar o presidente da Assembleia Legislativa e vice-presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, para comandar as articulações nos municípios.

Eleito em março para a presidência do partido, Beto deverá repassar o cargo ou pelo menos as suas principais atribuições a Rossoni, que organizou o partido em todo o estado, desde 2006. “O partido terá que ter um presidente efetivo no ano que vem. O governador não terá tempo para tratar das questões eleitorais e já tem muita gente pedindo a nossa presença na campanha”, afirmou Rossoni.

Se o PMDB confirmar a adesão à base do governo, os conflitos nos municípios vão triplicar. Em algumas cidades, peemedebistas e tucanos são antigos rivais. Rossoni teria a tarefa de representar o governador, mas como presidente do PSDB, não teria obrigações com aliados que se transformem em concorrentes dos tucanos na sucessão municipal.

O governador deve limitar sua participação na campanha onde os aliados estejam juntos, mas principalmente em Curitiba. Na capital, a tendência é o PSDB indicar o candidato a vice-prefeito na chapa à reeleição de Luciano Ducci (PSB).