A TV Brasil responsabilizou um funcionário da Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp), que presta serviço à emissora pública, pelas ofensas ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) publicadas no dia 20 no microblog Twitter usado pela rede para divulgação de sua programação.

Na mensagem, que se referia ao fato de Aécio ter sido parado numa blitz de trânsito e sido multado por estar com a carteira de habilitação vencida e ter se recusado a se submeter ao bafômetro, o senador foi chamado de “mentiroso”. Rapidamente o texto foi apagado.

A TV Brasil fez um pedido de desculpas, sem citar nomes, e atribuiu a mensagem a um ataque de hackers Logo em seguida, no entanto, a presidente da empresa, Tereza Cruvinel, fez um pedido de desculpas a Aécio. E admitiu que o texto poderia ter sido escrito por alguém de dentro da emissora.

Em nota distribuída hoje, a TV Brasil informou que o funcionário da Roquette Pinto entregou uma carta a Tereza Cruvinel e ao presidente da Acerp, Arnaldo César Jacob, responsabilizando-se pelo texto ofensivo a Aécio. De acordo com a nota da TV Brasil, o funcionário teria participado do episódio “involuntariamente, acreditando estar fazendo o registro em sua conta pessoal”.