Prestigiado pelo presidente Lula, o PMDB traça hoje a estratégia para o pré-acordo eleitoral em torno da candidatura presidencial da ministra Dilma Rousseff. O presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), ministros e lideranças peemedebistas se reúnem em um jantar organizado pelo líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), para preparar o anúncio e consolidar o cenário de aliança entre PMDB e PT, assegurando a vaga de vice na chapa de Dilma.

A ideia é produzir uma imagem de Lula com a cúpula dos dois partidos, seguida por uma entrevista, informando o preenchimento do posto por um peemedebista. O partido vai evitar oficializar um nome para a disputa agora, apesar de Temer ser o cotado para a vaga. A data do evento está dependendo de Lula, mas os peemedebistas não descartam a hipótese de que seja nesta semana. O presidente estará em Brasília amanhã, de volta da viagem a Estocolmo.

O PMDB tem pressa em criar um fato consumado para tentar superar as dificuldades nos Estados em que disputa com o PT a vaga de governador. A decisão agora é condicionar as mexidas no quadro estadual ao cenário definido de que os dois partidos estão na mesma chapa na disputa pelo Planalto. “O acordo facilitará o trabalho de ganhar a convenção partidária”, diz o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.