O senador eleito José Serra (PSDB) disse neste sábado que mereceria uma medalha por ter atrasado a implantação do projeto de trem-bala, quando era governador de São Paulo. “Mereço uma medalha por isso. Qualquer pessoa que tenha trabalhado para atrapalhar aquele projeto merece uma condecoração”, disse o tucano, durante manifestação contra o governo Dilma Rousseff, que reuniu cerca de 5 mil pessoas na capital paulista, segundo a Polícia Militar. Na última sexta-feira, Serra havia afirmado que incluiu Campinas no projeto do Trem-Bala, que originalmente ligaria São Paulo ao Rio de Janeiro, propositalmente, com o objetivo de atrasar o andamento do projeto.

Serra chegou no fim da manifestação e discursou por cerca de cinco minutos no carro de som do movimento “Vem Para a Rua”, na Praça Roosevelt. “A democracia não é só eleição, é um sistema de valores que está sendo destruído pelo PT. Temos que estar mobilizados”, afirmou. Convocada pela internet por grupos como “Movimento Brasil Livre”, “Vem Para a Rua” e “Movimento Brasileiro de Resistência”, a divulgação do ato contou com a participação de políticos de oposição como Serra e o deputado José Aníbal (PSDB), além do senador tucano Aécio Neves, que não compareceu ao evento.

O ato teve início por volta das 15 horas, quando centenas de pessoas se concentraram no vão do Museu de Arte de São Paulo (Masp) e marcharam pela Av. Paulista em manifestação contra o governo da presidente Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores. Divididos em três grupos distintos, cada um com seu carro de som, eles pediam, entre outras reivindicações, a derrubada do PL 36, que flexibiliza a meta fiscal do governo, o impeachment da presidente e até intervenção militar. Na reta final, os grupos “Movimento Brasil Livre” e “Vem Para a Rua” seguiram pela Rua da Consolação e neste momento estão na Praça Roosevelt. Já os manifestantes que pediam intervenção militar se dividiram dos demais e seguiram pela Av. Brigadeiro Luís Antônio.