Foto: Aliocha Maurício

José Serra se diz concentrado em São Paulo.

O governador do Estado de São Paulo, José Serra (PSDB), se mostra ?com os pés-no-chão? no que diz respeito às eleições presidenciais de 2010. Ontem à tarde, em Curitiba, ao participar do encerramento do programa Empreendedor Rural, realizado pela Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), ele comentou sobre a última pesquisa Datafolha, divulgada há poucos dias, que o apontou como favorito às eleições, com 37% das intenções de voto.

 ?O resultado da pesquisa é bom, mas tenho claro que ainda é muito cedo para falar sobre isto. Ainda falta muito tempo para as eleições presidenciais e estou mais concentrado em meu trabalho no Estado de São Paulo. Fui eleito para ser governador de São Paulo e não candidato à presidência?, declarou.

Questionado por jornalistas, Serra não quis comentar assuntos ligados à CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) e ao ?mensalão? mineiro do PSDB. Entretanto, elogiou a atuação do prefeito de Curitiba, Beto Richa, apontando-o como um importante líder político do partido. ?Beto está realizando uma administração muito positiva para a cidade de Curitiba. Ele honra a memória de seu pai (o ex-governador do Paraná José Richa)?, afirmou.

Política unificada

Sobre agricultura, tema do evento da Faep, ele criticou a fragmentação das políticas voltadas ao setor implementada pelo governo Lula. O governador disse não aprovar a existência de dois ministérios antagônicos atuando no setor, sendo um voltado à agricultura empresarial (da Agricultura) e outro à agricultura familiar de segunda classe (do Desenvolvimento Agrário). ?Precisamos de uma política unificada na área da agricultura?.

Apesar da insatisfação, Serra disse acreditar que a agricultura brasileira tem grandes oportunidades de crescimento, aumentando sua atuação no mercado asiático, principalmente em países como China e Índia.