Foto: Daniel Derevecki

Alvaro Dias: sobrevida.

Os três senadores do Paraná, Alvaro Dias (PSDB), Flávio Arns (PT) e Osmar Dias (PDT), avaliaram que a absolvição do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), prolonga o desgaste da instituição. ?Estou aturdido com o resultado. É muito ruim e agrava a falta de credibilidade da instituição?, disse o senador Flávio Arns.

Para o senador Osmar Dias, a população foi desrespeitada. ?O resultado da votação passa a imagem de que o Congresso e o Executivo têm forma conjunta de atuar. Isso mostra que há a proteção mútua e recíproca entre as partes. Quem mais perde é a população, que não vê satisfeita a sua vontade por parte daqueles que foram eleitos pelo povo?, afirmou.

O senador Alvaro Dias disse que o resultado deu sobrevida a uma crise. ?O Senado vai continuar a sangrar. A absolvição estabelece a continuidade de um processo que compromete demais a imagem do Senado Federal. Isso não encerra o ciclo. Infelizmente, a crise vai continuar?, afirmou o senador tucano.

Osmar Dias comentou que as seis abstenções e a influência da bancada governista foram determinantes para livrar o senador alagoano da cassação. ?Quem se absteve de votar num processo como este deveria optar pela ausência. A abstenção é uma forma disfarçada de votar não?, criticou o pedetista, citando que o Senado não pode mais ficar paralisado em função das denúncias contra Renan.

Outras três acusações estão sendo investigadas pelo Conselho de Ética. Para Alvaro, o futuro destas representações já está sinalizado: ?Não adianta vender a falsa expectativa de que vai ser diferente. O resultado de hoje sinaliza que Renan Calheiros não será cassado. O resultado só vai mudar se um acontecimento extraordinário assustar os senadores?.

Arns acha que a decisão do Senado ainda terá desdobramentos mais graves. Ele lembrou que os deputados federais já firmaram uma posição coletiva de não participar de sessões do Congresso, quando presididas por Calheiros. O Congresso se reúne para analisar matérias especiais como o projeto de orçamento da União e vetos presidenciais.