Em meio a uma das piores crises financeiras de sua história, o governo do Paraná volta a falar em vender fatias de suas principais empresas estatais, a Companhia Paranaense de energia (Copel) e a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), para obter recursos.

A informação é do secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Machado da Costa, em entrevista publicada nesta terça (10) ao jornal Valor Econômico. “Estamos estudando para levar ao governador. A venda pode ocorrer neste ano, dependendo das condições do mercado”, disse.

As ações das estatais vendidas, segundo o diário, seriam as do excedente do controle do estado – as empresas, portanto, permaneceriam sobre o controle estatal. O estado arrecadaria até R$ 950 milhões com a venda deste excedente, segundo estimativas do Valor Data. atualmente o Paraná possui 58% das ações ordinárias da Copel e 74% das ações ordinárias da Sanepar.

O secretário espera ainda que, além da venda, as estatais cortem despesas e ferem o maior dividendo possível para os acionistas – o que geraria caixa para o estado.

Segundo Mauro Ricardo, o estado enfrenta sérias dificuldades de caixa. “Quando cheguei [ao governo] havia uns R$ 10 bilhões de recursos livres disponíveis. Não havia dinheiro para cumprir compromissos assumidos pela administração. Esse é o problema: dívidas e um orçamento desequilibrado”.

Beto desautoriza

A entrevista do secretário da Fazenda admitindo que há estudos para vender fatias das principais estatais do Estado provocou a reação do governador Beto Richa, que negou ter a intenção de levar tais propostas adiante, publicando uma nota de esclarecimento sobre o assunto. Confira na íntegra:

ESCLARECIMENTO

Governo nega intenção de vender ações da Sanepar e Copel

“O governador Beto Richa desautorizou nesta terça-feira (19) qualquer iniciativa ou plano para comercializar ações de propriedade do Estado do Paraná nas estatais Copel e Sanepar.

“Não autorizei e não discuti esse assunto com ninguém”, afirmou. “Respeito a opinião pessoal do secretário da Fazenda, mas discordo dele e nunca tratei disso com ele. Não é o que eu penso. Há outras alternativas para ter recursos para novos investimentos no Paraná”, disse Richa.

“Continua intacto o meu compromisso de manter o Estado no controle acionário da Copel e da Sanepar, empresas que vêm ampliando ano após ano os seus investimentos no desenvolvimento do Paraná”, acrescentou o governador.

Nos últimos dois anos o governo manteve inalterada a sua participação na composição acionária da Copel, com 58% das ações ordinárias com direito a voto. Já na Sanepar, o governo ampliou a sua participação de 60% para 74% das ações ordinárias”.