O governador eleito do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB) divulgou os nomes de dez integrantes de seu futuro secretariado nesta segunda-feira, 15, em Porto Alegre. Como outros três já haviam sido anunciados no dia 4 de dezembro, boa parte do primeiro escalão já é conhecida.

O peemedebista também revelou que a equipe terá um máximo de 21 secretarias e que os titulares das restantes, que podem ser seis, sete ou oito, serão conhecidos até o final do mês.

Foram confirmados o deputado federal Vieira da Cunha (PDT) para a Educação; os deputados estaduais Gerson Burmann (PDT) para Obras, Saneamento e Habitação; Lucas Redecker (PSDB) para Minas e Energia; Pedro Westphalen (PP) para Transportes e Mobilidade; Ernani Polo (PP) para Agricultura; e Miki Breier (PSB) para Trabalho e Desenvolvimento Social. O médico João Gabardo, ligado ao PMDB, assumirá a pasta da Saúde.

Outros integrantes do primeiro escalão têm perfil mais técnico do que político. O delegado da Polícia Federal Wantuir Francisco Brasil Jacini será o titular da Secretaria da Segurança. O promotor Cesar Faccioli foi o escolhido para a pasta da Justiça e Direitos Humanos e a contadora Ana Pellini para a do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.

Desde 4 de dezembro são conhecidos os futuros secretários da Fazenda, o deputado estadual Giovani Feltes; Geral do Governo, o ex-prefeito de São José dos Ausentes, Carlos Búrigo; e o chefe da Casa Civil, o deputado estadual Márcio Biolchi, todos filiados ao PMDB.

O futuro governo indicou que o número de secretarias deve cair das atuais 25 para um total de 19, 20 ou 21. Entre as que podem ser extintas ou incorporadas por outras estão a de Desenvolvimento Rural, Esportes, Políticas para Mulheres e Gabinete dos Prefeitos.