Ao chegar da cerimônia de abertura do ano do Judiciário, o vice-presidente Hamilton Mourão disse que, na sua avaliação, a eleição para a presidência da Câmara dos Deputados, com a escolha de Rodrigo Maia (DEM-RJ), parece estar decidida. No Senado, entretanto, o vice disse achar que o quadro ainda está indeciso.

“Eu julgo que quem for eleito no Senado estará antenado com as coisas que estão ocorrendo no País e com as necessidades que o País tem” , declarou. “Eu tenho falado que é hora de os políticos resgatarem a sua credibilidade perante o Brasil como um todo”, emendou.

Ao ser questionado se Renan era um bom nome para presidir o Senado, Mourão respondeu : “Acho que é indiferente. Não tem problema”. Sobre se Rodrigo Maia era o melhor para a Câmara, Mourão afirmou: “Acho muito bom. já disse isso. Ele é um cara experiente e está comprometido com as reformas. Acho que vai ser bom para o governo”.

O vice-presidente comentou que não conversou nestas sexta-feira com o presidente Jair Bolsonaro, que está internado em São Paulo, se recuperando da cirurgia que retirou a bolsa de colostomia. “O presidente não pode ficar falando. Ele é um teimoso”, observou o general, ao reforçar que Bolsonaro telefonou para todos os candidatos à Presidência do Senado na noite de Quinta-feira.

Mourão justificou os telefonemas dizendo que Bolsonaro fez isso porque “é político”. É acrescentou: “O presidente é esperto. Eu não”.