A polêmica envolvendo o “pacotão” com medidas de austeridade enviadas pelo governador Beto Richa à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) na segunda-feira (1º) ganhou mais um capítulo.

Nesta sexta-feira (5), o governador disse que a proposta visa revigorar a lei anterior, mas recuou em sua proposta inicial, afirmando que apresentará um decreto governamental mantendo os percentuais de impostos cobrados atualmente, bem como as isenções para os produtos que compõem a cesta básica e também as empresas enquadradas no simples.

“Nós vamos analisar caso a caso e posso assegurar que os produtos que compõem a cesta básica e também as empresas enquadradas no simples terão decreto governamental preservando os impostos cobrados hoje e, em especial, que não estarão sujeitos às mudanças apresentadas no projeto”.

O “pacotão” apresentado pelo governo do Estado deverá ser votado pelos deputados na próxima semana e valerá para o próximo ano, sendo aplicado a parti de abril, respeitando a noventena.