O governo do Paraná informou nesta quinta-feira (14) que vai dar um reajuste de 5%, pago em duas parcelas, aos salários de seus servidores públicos. A administração estadual vai enviar um projeto de lei para a Assembleia Legislativa com a proposta, que, segundo o governo, foi feita “conforme a capacidade orçamentária e financeira” do estado.

Ao mesmo tempo, foi anunciado encerramento das negociações com os sindicatos de servidores públicos. A administração anunciou ainda que, como as paralisações de professores da rede estadual e do ensino superior foram consideradas abusivas pela Justiça, vai registrar as faltas e fazer desconto no salário dos grevistas.

Entre as medidas anunciadas, também está a abertura de processos por insubordinação contra diretores que, segundo o governo, teriam mantido escolas fechadas ou dificultado o acesso de estudantes e professores.

A administração Beto Richa (PSDB) ainda anunciou que vai destinar R$ 260 milhões, ainda em 2015, para quitar benefícios que estão em atraso, como promoções e progressões de carreira.

Na manhã desta quinta, a APP-Sindicato, que representa professores da rede estadual de ensino, fez protesto no Centro da capital para cobrar do governo do estado uma proposta para a data-base do funcionalismo. Os servidores exigiam reajuste de 8,17% que, segundo eles, é a variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) dos últimos 12 meses.

A última negociação entre governo e servidores foi realizada na terça-feira (12) e terminou sem uma proposta concreta por parte da administração estadual. O impasse levou os sindicatos a subir o tom e ameaçar a realização de uma greve geral.