Pessuti: “Eu tinha que ficar me
justificando para não assumir o governo”.

O vice-governador Orlando Pessuti (PMDB) assumiu o governo interinamente no início da manhã de ontem em substituição ao governador Roberto Requião (PMDB), que viajou ao Chile acompanhado de um grupo de empresários.

A posse de Pessuti, realizada pouco antes do embarque de Requião, foi uma decisão de última hora e causou surpresa nos meios políticos, já que estava programada a posse do presidente do Tribunal de Justiça, Oto Sponholz. O desembargador foi o governador em exercício na viagem anterior de Requião ao Canadá, no início do mês. Pessuti assumiu ontem e será o governador interino daqui por diante, até o final do ano, quando estão previstas outras três viagens de Requião ao exterior.

No afastamento anterior de Requião, o vice alegou que não poderia exercer a interinidade num ano eleitoral, tendo em vista que prejudicaria o projeto eleitoral de sua irmã, Neusa Pessuti, pré-candidata a prefeito de Jardim Alegre pelo PMDB. A legislação eleitoral considera inelegíveis os candidatos que sejam parentes de até segundo grau de chefes do Executivo.

Quando Requião foi para o Canadá no dia 7 de maio, o cargo foi exercido pelo desembargador Oto Sponholz, já que Pessuti quis preservar o projeto eleitoral familiar e o sucessor imediato, o presidente da Assembléia Legislativa, Hermas Brandão (PMDB), também vive situação semelhante. O filho de Brandão, Hermas Brandão Júnior, é pré-candidato a prefeito em Fazenda Rio Grande, também pelo PMDB.

Ontem, o vice-governador justificou que pensou melhor diante das pressões que vinha recebendo e decidiu conversar com a irmã. Segundo Pessuti, a pré-candidatura de Neusa será mantida e eles vão tentar judicialmente derrubar a inelegibilidade. Pessuti não confirmou se foi cobrado pelo governador, mas afirmou que estava sendo criado o que chamou de um “clima ruim” por conta de seu impedimento. “Eu tinha que ficar me justificando para não assumir porque as pessoas não estavam entendendo bem o obstáculo legal. Como assumi para ser o vice-governador do Paraná e não de Jardim Alegre, revi a posição”, afirmou.

Pessuti disse que já confirmou ao governador que o substituirá nas próximas viagens internacionais. A agenda de Requião prevê viagens à Argentina, a partir do dia 9 de junho, à Itália, no final de julho, à França e Bélgica entre agosto e setembro, e à China, no final do ano.

Professor defende mais qualidade

Qualidade total e busca pela excelência. As duas expressões, bastante utilizadas no setor privado, também podem e devem ser colocadas em prática no serviço público. Foi este o tom da palestra do professor Ruy Fernando Sant?Ana, ontem, durante café da manhã com gerentes e técnicos das áreas administrativas e de recursos humanos do Poder Executivo estadual.

A conversa fez parte do V Workshop de Recursos Humanos, promovido pela Secretaria de Estado da Administração e da Previdência (Seap) e realizado em Curitiba. O encontro teve como objetivo reforçar nos gerentes, diretores e técnicos de recursos e de administração a idéia da constante busca pela qualidade e excelência.

Busca essa que, de acordo com as palavras do professor, precisa ser incansável. “Por melhor que algo esteja, há sempre a possibilidade de se aperfeiçoar”, comentou Sant?Ana, que é engenheiro e assessor da presidência da Copel. “A filosofia da qualidade total é aquela que diz o termo japonês ?kaizen?: tudo pode ser melhorado, continuamente.”

Pontos essenciais – Ruy Sant?Ana listou alguns pontos que, na visão dele, são essenciais para se alcançar a chamada “excelência”. Entre eles, estar sempre focado no cliente, tendo como objetivo a satisfação dele.