Foto: Arquivo/O Estado
Requião: encontro com prefeitos em Curitiba.

A campanha do governador Roberto Requião à reeleição anunciou ontem que dos 399 prefeitos do Paraná, 229 estão apoiando a candidatura do peemedebista. O site de campanha do governador exibe uma lista de 220 nomes, abaixo de um manifesto em que Requião é descrito como parceiro dos municípios. Entre os nomes, a maioria dos administradores é do PMDB e PSDB, os dois partidos que mais elegeram prefeitos nas eleições de 2002.

Nesta primeira etapa da campanha, o governador vem procurando amarrar os apoios dos prefeitos em todo o estado e já provocou reações dos concorrentes. O PDT está de olho nas suas prefeituras e ameaça expulsar quem se passar para o lado governista. Desde o início da campanha eleitoral, Requião vem dando preferência na sua agenda de campanha a reuniões com prefeitos. Hoje, 26, Requião estará em Cornélio Procópio e Guarapuava para novos encontros com prefeitos de vários municípios da região. Na sexta-feira, 28, o governador termina uma rodada estadual de encontros em Curitiba, onde vai receber no Hotel Caravelle os prefeitos do litoral, das regiões sul do Estado e metropolitana de Curitiba.

É uma demonstração de força eleitoral e política, declarou o chefe da Casa Civil, Rafael Iatauro que, nos finais de semana, tem acompanhado o governador nas viagens pelo interior do Estado. Para o secretário da Casa Civil, a adesão dos prefeitos à campanha do governador também é uma conseqüência natural da gestão do peemedebista. "O governador não discriminou nenhuma cidade, nenhum prefeito. Cada município do estado tem pelo menos uma obra deste governo. Então, é natural que isso ocorra", afirmou.

Lista cresce

No encontro de Curitiba, os peemedebistas pretendem fechar a lista de apoios. Na próxima sexta-feira, a coordenação de prefeitos da campanha de Requião pretende apresentar uma lista de mais de trezentos. O ex-secretário Renato Adur, encarregado do trabalho de fazer a ponte entre os prefeitos e a campanha, disse que o alcance do apoio do prefeito, sobretudo nas pequenas cidades, pode chegar a mais de 50% do eleitorado. "Numa cidade com menos de dez mil habitantes, o prefeito tem um domínio sobre, no mínimo, a metade do eleitorado. Além disso, o prefeito tem liderança sobre os vereadores, sobre os líderes comunitários e em vários setores", comparou Adur.

Para o ex-secretário, mesmo com a popularidade em baixa, um prefeito tem votos. "Nós temos pesquisas mostrando que por pior que o prefeito esteja, ele sempre detém, no mínimo, 30% dos votos. Ele sempre tem um grupo que está com ele", afirmou Adur. Ele justifica que a adesão de prefeitos à campanha de Requião tem origem no tratamento que receberam do governo nesses três anos e meio de administração. "Este apoio já foi hipotecado lá atrás, quando o governador tratou a todos igualmente. Isso conquista os prefeitos", afirmou.

Outras listas

As listas de apoio a Requião não param nos prefeitos. A próxima será uma relação dos vice-prefeitos que se comprometeram a trabalhar em favor de mais um mandato para o governador. Até ontem, vinte e dois já haviam concordado em assinar o manifesto pró-reeleição do governador. Uma terceira lista está percorrendo as câmaras municipais de todo o estado para coletar a assinatura dos seus presidentes.