No turbilhão de versões que circulam nos bastidores da Assembleia Legislativa, a mais recente é que, no processo de recadastramento de servidores, a lista de quem ficaria ou sairia teria sido confeccionada diretamente por Abib Miguel, diretamente do Quartel Geral da Policia Militar, onde ficou preso por quarenta e nove dias.