O secretário estadual de Governo, Maurício Rands, desistiu de disputar nova prévia do PT – marcada para domingo – com o prefeito João da Costa pela indicação de disputar a prefeitura do Recife. “Anuncio minha renúncia em prol da candidatura do senador Humberto Costa”, afirmou ele, em entrevista coletiva no final da tarde desta quarta-feira.

A decisão de Rands foi vista como o primeiro passo para a adoção de uma solução discutida pela cúpula nacional do PT para evitar um novo embate interno e mais desgaste para o partido: a apresentação de um terceiro nome que viesse a unir a legenda e os aliados – reunidos na Frente Popular, capitaneada pelo governador Eduardo Campos (PSB).

Rands e João da Costa participaram de encontro nesta terça com o presidente nacional do partido, Rui Falcão, em São Paulo, e desembarcaram juntos, no Recife. Trocaram as constantes farpas e acusações por sorrisos e gentilezas.

Até o início da noite desta quarta, João da Costa não havia se pronunciado sobre a decisão do adversário. A expectativa é que ele também ceda em favor do senador. Antes da entrevista, realizada no diretório estadual do partido, o prefeito e Rands mantinham o discurso de manutenção das novas prévias.

A indicação do senador, da mesma tendência de Rands e do presidente Lula, a Construindo um Novo Brasil (CNB), foi ganhando corpo desde terça em notícias de bastidor. Ele seria a saída encontrada pela executiva nacional para impedir perda da hegemonia petista, que está há 12 anos à frente da prefeitura do Recife.

O prefeito venceu a prévia realizada no dia 20, mas não levou. O resultado ficou subjudice diante de questionamentos sobre os filiados que teriam direito a voto. Marcada por uma batalha de liminares na justiça, brigas, xingamentos e acusações mútuas, a avaliação do partido é a de que nem João da Costa nem Rands teriam condição de se confrontarem em mais uma prévia.