A cúpula do Partido Verde (PV) anunciou em São Paulo as dez propostas que serão encaminhadas ainda hoje aos presidenciáveis José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Na apresentação da plataforma verde, estão itens como transparência e ética na gestão pública e reforma eleitoral e política.

Os demais temas em que se divide o documento são educação para a sociedade do conhecimento; segurança pública; mudanças climáticas; segurança social, saúde e assistência social; proteção de biomas; gasto público de custeio e reforma tributária; política externa; e fortalecimento da diversidade socioambiental e cultural.

De acordo com a senadora Marina Silva (PV-AC), candidata derrotada à Presidência, o documento, denominado “Agenda por um Brasil Justo e Sustentável”, sintetiza os itens que a coordenação da campanha considerou mais importantes em sua plataforma de governo. “Fizemos algo respeitoso com a democracia”, disse. “Espero que seja uma contribuição generosa para este segundo turno.”

Em cada uma das dez áreas da plataforma, há subitens. Na questão de proteção de biomas, por exemplo, o documento pede veto à aprovação do novo Código Florestal. A plataforma pede ainda a destinação de 7% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, criação do Fundo Nacional de Segurança para complementar o salário de policiais e criação da Agência Reguladora para Política de Mudanças Climáticas.

O PV pede ainda saneamento básico para 75% dos domicílios até 2014 e universalização da rede de esgoto até 2020, limitação do gasto de custeio à metade do crescimento do PIB, política externa com foco no respeito aos direitos humanos, fortalecimento da diversidade socioambiental e conclusão das demarcações das terras indígenas.

O PV volta a se reunir no dia 13 em Brasília para discutir os preparativos da convenção que definirá os rumos da legenda no segundo turno, a ser realizada em São Paulo, no dia 17.