O presidente estadual do PT, Emídio de Souza, falou nesta sexta-feira, 12, sobre as dívidas de campanha do partido em São Paulo, que, segundo ele, somam entre R$ 25 e R$ 30 milhões. Emídio indicou que pretende contar com a ajuda do diretório nacional do partido para quitar o débito. “A campanha de São Paulo é parte da nacional e nós somos um partido só”, disse Emídio, argumentando também que as campanhas de São Paulo nunca se pagaram sozinhas.

Emídio fez questão de ressaltar que a dívida será paga e que o montante devido não paralisará o partido. Questionado sobre a possibilidade de o PT Nacional não assumir os custos da campanha paulista, Emídio voltou a defender a ajuda. Ele disse que conversa diariamente com o tesoureiro João Vaccari sobre o tema. “Esse filho não é de nenhum de nós individualmente”, afirmou.

Sobre os impactos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, na arrecadação do partido, Emídio ressaltou que as pessoas mais indicadas para responder eram os tesoureiros, mas admitiu que as revelações feitas pela Polícia Federal foram prejudiciais.

Emídio participou de um encontro que reúne dirigentes petistas de todo o País no centro da capital paulista na manhã desta sexta-feira. O presidente estadual do PT falou rapidamente com a imprensa na saída de uma reunião.