Foto: Agência Câmara

Vargas: candidatos próprios em mais de 90 municípios.

A direção estadual do PT estabeleceu que, até o final do ano, terá definido todo o seu quadro de candidatos a prefeito em todo o Estado, deixando o início de 2008 reservado para as articulações sobre alianças.  

O presidente estadual do partido, deputado federal André Vargas, disse que quer começar o ano sem sombra de disputas internas ou qualquer outro conflito envolvendo a escolha dos nomes.

As eleições municipais do próximo ano prevaleceram na maioria das discussões realizadas durante o III Congresso Estadual do PT, concluído anteontem, em Curitiba. O congresso direcionou os debates para as eleições do ano que vem e rejeitou as discussões sobre 2010. Uma das propostas de resolução estabelecia que o candidato à Presidência da República, em 2010, seria um nome do PT. A resolução foi recusada sob o argumento de que o foco do partido está em 2008.

Nas cidades onde houver mais de um nome, as prévias para a escolha de candidatos devem ser realizadas até dezembro, informou Vargas. Nas cidades onde são realizadas eleições em dois turnos – Curitiba, Londrina, Maringá – e um grupo de cerca de noventa municípios, o PT disputará as eleições com candidatos próprios.

Das três cidades com segundo turno, Londrina já tem seu candidato definido. O presidente estadual do PT é o nome que será lançado à sucessão de Nedson Micheleti. Até agora, Vargas não tem concorrentes internos. Em Maringá, a preferência da direção estadual é pela candidatura do atual secretário do Planejamento, Enio Verri, que terá de vencer antes o grupo que defende a pré-candidatura do ex-prefeito e atual coordenador da Região Metropolitana de Maringá, João Ivo Caleffi.

Assim como em Maringá, Vargas disse que vai buscar também o entendimento em Curitiba entre a ex-candidata ao Senado Gleisi Hoffmann, e o deputado estadual Tadeu Veneri. ?Estou apostando no entendimento entre todas as forças. Não queremos candidaturas para marcar posição. O PT já deixou para trás essa fase. Nós vamos disputar eleição para vencer e é isso que deve orientar a escolha. No caso de Curitiba, com todo o respeito à história do Veneri, mas a Gleisi é o nome com o maior número de votos da história do PT do Paraná, na eleição para o Senado. Para que fazer prévia??, disse o dirigente petista, citando que a disputa interna trava o processo eleitoral e desgasta os pré-candidatos.

Forças

Durante o III Congresso Estadual, o PT elegeu os delegados ao Congresso Nacional, que será realizado entre 31 de agosto e 2 de setembro, em São Paulo. A chapa ?Construindo um novo Brasil?, do campo Majoritário, grupo de Vargas, fez 202 votos e elegeu 42 delegados para o Congresso Nacional. ?Mensagem ao Partido?, do grupo do deputado federal Dr. Rosinha fez 54 votos e elegeu 11 delegados. ?PT Militante e Socialista?, chapa ligada ao deputado Tadeu Veneri, fez 18 votos e elegeu 4 delegados.