O deputado federal Eduardo Azeredo não participou ontem de um evento do PSDB em Minas no qual o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o senador Aécio Neves fizeram duras críticas ao PT e aos petistas presos por envolvimento com o mensalão. O encontro intitulado “Federação Já”, que reuniu em Poços de Caldas oito governadores tucanos e as principais lideranças do PSDB, se transformou num ato de apoio à candidatura de Aécio ao Planalto.

Ex-governador de Minas, ex-presidente do PSDB, Azeredo é acusado de envolvimento num esquema de financiamento ilegal de sua campanha à reeleição para o governo em 1998. Trata-se do chamado mensalão mineiro, ainda não julgado pelo Supremo.

Azeredo esteve presente em eventos recentes do PSDB no Estado, como no encontro realizado em Uberlândia, em outubro, e na posse do ex-ministro Pimenta da Veiga na secção mineira do Instituto Teotônio Vilela, em agosto. Mas ontem faltou.

Nos discursos, FHC e Aécio se revezaram nos ataques. “Hoje vejo que a Justiça começa a se fazer”, disse FHC. Aécio disse que o PSDB não “comemora prisões”. “Porém, lamento que o presidente do PT confunda decisão do Supremo com decisão política”, disse o senador mineiro, numa referência à afirmação do presidente do PT, Rui Falcão, de que as prisões foram políticas.O ex-governador paulista José Serra, que mantém seu projeto presidencial, também não foi ao evento ontem em Minas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.