O PSDB aprovou no domingo, 5, em sua convenção nacional uma mudança em seu estatuto que ampliou o tamanho da direção executiva partidária. Em uma votação simbólica e rápida, o novo secretário-geral do partido, Silvio Torres, pediu que os delegados presentes aprovassem 16 modificações. Pelo novo regimento, o PSDB contará com duas novas vice-presidências.

Segmento que mais cresce no partido, o PSDB Mulher ganhou uma vaga com direito a voz e voto na cúpula da legenda. A deputada federal Mariana Carvalho (RO) ocupará o cargo. A outra vice-presidência será dedicada à área jurídica, ocupada pelo deputado Carlos Sampaio (SP). Atualmente com 10 cadeiras, a direção executiva passará a ter até 22. Os líderes da minoria na Câmara, Senado e do governo nas duas Casas também terão espaço com direito a voz e voto no comando partidário.

No caso da liderança do governo, a mudança foi feita vislumbrando a chegada do PSDB ao poder em caso de impeachment ou cassação do diploma da presidente Dilma Rousseff pelo TSE. O PSDB também pretende remodelar sua estrutura de atuação nos segmentos sociais. Em seu discurso, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu que o PSDB é o “partido do povo brasileiro, dos trabalhadores, da educação e da segurança”.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.