Após passar o feriado de carnaval descansando com a família no hotel de trânsito da Aeronáutica, que fica na área do Centro de Lançamento Barreira do Inferno em Parnamirim (RN), a presidenta Dilma Rousseff retoma a agenda de trabalho na tarde desta quarta-feira (9).

Ao retornar ao trabalho, a presidenta terá na mesa para discussão temas como o reajuste da tabela do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). O governo defende o percentual de 4,5%, que garante a manutenção de acordo firmado que considera o centro da meta de inflação. Já as centrais sindicais defendem que o reajuste seja de 6,46%, percentual equivalente à inflação do ano passado.

No início do mês, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo terá que elevar tributos ou fazer novos cortes de despesas para compensar o reajuste de 4,5% na tabela do Imposto de Renda. Pelo cálculos do ministro, o governo deixará de arrecadar mais de R$ 1,5 bilhão com a medida.

A elaboração do plano para erradicar a extrema pobreza e que tem a previsão de ser lançado no próximo mês também deve ocupar espaço na agenda de Dilma. O programa  terá políticas públicas especiais voltadas para as mulheres e para as crianças e trará como eixos principais a ampliação da renda, a melhoria da oferta de serviços públicos e a inclusão social. No discurso de posse, Dilma afirmou que durante seu governo lutaria com obstinação pela erradicação da pobreza extrema.

Após um início de mandato dominado por compromissos internos no Palácio do Planalto e poucas viagens, a expectativa é que a partir de agora a presidenta participe de mais eventos públicos.

Dilma embarcou para Parnamirim na tarde de sexta-feira (4) e deixou o local na terça-feira (8). Durante a permanência no hotel de trânsito da Aeronáutica a presidenta não recebeu visitas. Na segunda-feira (7), participou da soltura de 100 filhotes de tartarugas, numa ação que faz parte do Projeto Tamar, de proteção da espécie. A presidenta também assistiu a uma apresentação sobre as atividades desempenhadas pelo Centro de Lançamento, órgão de execução do Programa Espacial Brasileiro.