A prefeita cassada de Magé (RJ), Núbia Cozzolino, pode ter manipulando o sistema da folha de pagamentos do município para apagar informações sobre “funcionários-fantasmas”. Segundo uma denúncia que chegou hoje à Promotoria de Justiça, Núbia teria ido à prefeitura na noite da última segunda-feira, onde fez alterações não autorizadas e inserção de dados falsos no sistema de informações sobre os pagamentos dos servidores.

Núbia foi cassada por abuso de poder político e econômico na campanha de 2008. Ela responde a 28 ações por improbidade administrativa, além de três centenas de inquéritos civis e sete denúncias criminais. No último domingo, ela sofreu mais uma derrota com a eleição de Nestor Vidal (PMDB) para a Prefeitura de Magé. Ele fazia oposição ao governo de Núbia.

Diante das informações recebidas, o promotor requereu a medida de busca e apreensão de computadores e documentos na sede da prefeitura. Ao cumprir os mandados hoje os oficiais encontraram Núbia e um servidor municipal na sala onde se elabora a folha de pagamentos dos funcionários municipais. Ambos foram levados à delegacia. Foram apreendidos seis computadores que estavam trancados em um armário na sala da tesouraria. A Justiça determinou o afastamento da ex-prefeita de suas funções como servidora do Estado e a proibição de sua entrada na prefeitura.