A Polícia Federal informa que o doleiro Alberto Youssef passou bem a noite e permanecerá, a princípio, internado por mais 48 horas no hospital, sob a escolta de policiais federais. “Não havendo nenhuma outra intercorrência, retornará à carceragem da PF em Curitiba”. A PF não detalhou a fonte dessa conclusão, pois as notas divulgadas não são assinadas por médicos.

A Polícia Federal reforça que são falsas as informações de que o doleiro teria falecido. Mais cedo, a PF divulgou que eram “infundadas as informações de possível envenenamento” do doleiro. Youssef é delator do esquema de corrupção na Petrobrás e, na semana passada, trouxe à tona o nome do ex-presidente Lula e da presidente Dilma no escândalo da Petrobrás ao afirmar em depoimento, que ambos sabiam das falcatruas, conforme noticiou a revista Veja, na edição que já está nas bancas..

O advogado de Youssef, Antônio Figueiredo Basto, disse, neste domingo, 26, ao jornal O Estado de S. Paulo, que “não houve envenenamento” e que seu cliente teria “problemas cardíacos”.

Sobre o caso, nota da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba (PR) cita, para Youssef, hipótese diagnóstica de “angina instável”. O texto informa que o doleiro foi deslocado na tarde de sábado, 25, em uma ambulância com escolta policial, até o Hospital Santa Cruz. É citado que o paciente mencionou dor torácica, mas permaneceu consciente, lúcido e orientado durante o atendimento, com os dados vitais estáveis.