Terminou sem acordo a negociação tentada pela executiva estadual do PMDB para convencer Doático Santos a deixar o  comando do partido, em Curitiba. A discussão, que começou com um pedido de dissolução do diretório feito pelo deputado estadual Reinhold Stephanes Junior, deve se prolongar até abril, quando o partido fará um congresso em Curitiba para definir rumos e estratégias para as próximas eleições.

A expectativa de solução apresentada pelo presidente estadual do PMDB, Waldyr Pugliesi, é que a direção nacional concorde em antecipar a realização das convenções municipais do partido, previstas para 14 de novembro. A proposta é que as convenções para renovar os diretórios sejam realizadas em julho, antes do encerramento do prazo de filiações dos candidatos às eleições de 2012.

A troca das direções municipais facilitaria a atração de nomes para disputar as prefeituras. Curitiba é o exemplo clássico da incompatibilidade entre o diretório atual e a tentativa de uma ala do partido de atrair o tucano Gustavo Fruet para concorrer à prefeitura. “Como é que o Gustavo vem para o partido sabendo que tem uma direção hostil à candidatura dele?”, comentou Pugliesi.

Pugliesi disse que vai conversar com o presidente em exercício do PMDB, senador Valdir Raupp, para alterar as datas das convenções. “Não podemos ficar trabalhando com uma solução que implique a exclusão de alguém do partido. Aconselhei ao Stephane que faça uma chapa para disputar o diretório”, afirmou o presidente do PMDB do Paraná.