A chapa governador Roberto Requião – candidatura própria, esteve reunida ontem no clube Thalia, para passar as últimas informações e orientações aos militantes para a convenção municipal do PMDB, que acontece hoje, na sociedade Dom Pedro II. Além dela, mais duas chapas estão na disputa: a chapa governador Roberto Requião – candidatura única, e a Movimento Democrático de Base.

No final da tarde de sexta-feira a chapa liderada pelo atual presidente municipal, Doático Santos, recorreu da decisão da Justiça que liberou os mais de 23 mil filiados a votar. “Cabe agora ao presidente do Tribunal de Justiça, Otto Sponholz, decidir se cassa ou não a liminar”, disse o deputado federal Gustavo Fruet, presidente estadual do partido. “Se algum filiado for impedido de votar iremos registrar sua presença e seu voto, para recorrermos depois”, adiantou.

Além de Fruet, estiveram no encontro o diretor do Detran, Marcelo Almeida, os vereadores Paulo Salamuni, Celso Torquato e Luiz Felipe Braga Cortes, e o secretário de Relações com a Comunidade, Milton Buabssi. Histórico no partido, ex-vereador, ex-deputado estadual, ex-vice-prefeito e ex-secretário de Estado, Adhail Sprenger Passos também defendeu a candidatura própria. “Tenho uma vivência de décadas na vida partidária, e não posso conceber que um pequeno grupo queira colocar o PMDB em posição subalterna a outro partido”, disse.

Paulo Salamuni afirmou estar confiante na vitória. “Tenho convicção de que vamos ganhar a eleição. Na verdade já ganhamos porque conseguimos unir em uma chapa pessoas de peso e história. Não admitimos que nosso partido, com a rica história que tem, vá a reboque de outro”, defendeu.

Consenso

Milton Buabssi lembrou ainda que a chapa lutou por um consenso. “Nunca quisemos a disputa porque ela é muito desgastante. Mas não tivemos outro caminho, porque os opositores se negaram a dialogar. Um partido que tem o governo do Estado não pode deixar de ter candidato próprio”, afirmou.

Luiz Antunes Rodrigues, integrante da chapa Movimento Democrático de Base, garantiu ontem que ela continua na disputa. “Estamos vivendo um terrorismo. Nossa chapa está incomodando o Doático Santos, porque não temos estrelas, só pessoal sem mandato e de bairro. Além disso defendemos a candidatura própria sempre”, disse.

Segundo ele, o presidente municipal tentou impugnar a chapa MDB, mas não obteve sucesso. “Conseguimos todos os documentos para montar a chapa no último dia de prazo, porque o Doático não nos deu as fichas com os nomes dos filiados. Fizeram um recadastramento fantasma, jogaram baixo, mas vamos disputar mesmo assim.”

Convenção

A convenção do PMDB será realizada em mais de cinco mil municípios em todo o país. Em Curitiba serão eleitos 45 novos membros, quinze suplentes e trinta delegados. A chapa que sair vitoriosa irá eleger a nova comissão executiva, que ficará responsável em organizar o partido para as eleições do próximo ano.

A disputa é grande porque o PMDB está dividido em dois. O grupo que defende a candidatura própria, e pretende emplacar o nome do deputado federal Gustavo Fruet, e a que defende a aliança com o PT já no primeiro turno, e apóia o nome do deputado estadual Ângelo Vanhoni. Dos noventa eleitos, 75 membros farão parte da comissão para a convenção eleitoral do ano que vem.