O PMDB está organizando a renovação dos diretórios municipais em todo o Estado nas convenções marcadas para o próximo dia 24 de outubro. A troca de comando do partido nas cidades está sendo convocada como um momento de unidade do partido para impulsionar a candidatura própria do vice-governador Orlando Pessuti ao governo nas eleições de 2010.

Em Curitiba, entretanto, está se desenhando uma disputa interna para a executiva municipal. A recondução do atual presidente do partido na capital, Doático Santos, está em pauta novamente.

Doático está no quarto mandato como presidente do PMDB de Curitiba e é o nome predileto do governador Roberto Requião para continuar no comando do partido, mas outra ala acha que está na hora de mudar o perfil do presidente da sigla em Curitiba. O deputado federal Marcelo Almeida é o nome que está sendo sondado para enfrentar Doático na convenção.

Arquivo
Stephanes: ele não é mais aceito.

Um dos articuladores da candidatura de Almeida é o deputado estadual Reinhold Stephanes Junior. “Nós gostaríamos que a direção do partido mudasse na capital. Não é nada pessoal contra o atual presidente, mas ele não tem liderança, nem com os deputados nem com a sociedade. Acho que precisamos de um outro perfil na presidência do partido. Alguém que seja um exemplo para a sociedade”, atacou o deputado peemedebista.

Para Stephanes, o atual presidente não tem o jogo de cintura necessário para ajudar na construção de alianças para a disputa ao governo no principal colégio eleitoral do estado.

“O Doático não é aceito por mais ninguém no partido, além do governador. Por isso, é preciso que haja mudanças também”, afirmou. A candidatura de Marcelo Almeida, entretanto, esbarraria na resistência do governador.

Apesar de ter um bom relacionamento com o governador, Almeida não pertence ao núcleo mais próximo de Requião, que segue à risca suas orientações e compartilha da mesma concepção sobre administração pública.

Se aceitar o encerramento do mandato de Doático, a avaliação é que Requião, talvez, acatasse um segundo nome: o do atual secretário especial do seu gabinete, Carlos Augusto Moreira Junior.

Agência Câmara
Almeida: nome para convenção.

Presidente do Conselho Político do PMDB de Curitiba, que sempre é chamado a se manifestar quando há sinais de desentendimento interno, o deputado estadual Alexandre Curi disse que conversará com Doático esta semana sobre a convenção do próximo dia 24. Curi adiantou, entretanto, que a tendência é que Doático seja reeleito.

Ainda que o presidente permaneça o mesmo, o PMDB terá que trocar pelo menos dois vice-presidentes. O 1º. vice, o deputado Mauro Moraes, trocou o PMDB pelo PSDB na semana passada e é alvo de uma ação judicial movida pelo diretório estadual que reivindica seu mandato, acusando-o de infidelidade partidária. O 2º. vice-presidente era o ex-deputado federal Max Rosenmann, que morreu em 25 de outubro de 2008.

O atual presidente do PMDB disse que está preparando a chapa ao diretório e que a executiva ainda não está definida. Com 45 integrantes titulares, quinze suplentes e trinta delegados à convenção estadual, a chapa é encabeçada por Requião e deputados estaduais e federais com domicílio eleitoral em Curiti,ba. Porém, segundo Doático, ainda há dúvida sobre a participação de Stephanes Junior.

“Tem gente muito resistente ao nome dele. Assim como o Mauro Moraes, ele está sempre na contramão das decisões do partido”, devolveu. Na próxima quarta-feira, a chapa será subscrita por todos os seus integrantes. A executiva do partido será eleita pelos membros do diretório.