Enquanto a maioria dos partidos políticos está divulgando suas preferências para as eleições municipais, ainda resta pelo menos um com posição indefinida. Apesar de o ex-prefeito Rafael Greca (PMDB), estar praticamente em campanha, alguns de seus correligionários declaram abertamente sua preferência pela coligação com o PSB para apoiar a reeleição de Luciano Ducci. Desta forma, é possível que a posição do PMDB seja definida apenas na convenção do partido, ainda sem data marcada.

As divergências dentro do PMDB, entretanto, não preocupam Greca. “Temos certeza que vamos vencer a convenção com grande margem de diferença, pois minha candidatura tem a simpatia dos diretórios municipal, estadual e nacional. E mesmo assim, a eleição não é partidária. Para ser vencedora a candidatura tem que estar atenta à causa da cidade”, comenta. Para ele, essa causa seria a “volta da qualidade de vida perdida”, aliada ao poder de inovação e à prestação de serviços. “Só vai vencer quem for apoiado pelo povo”, completa.

Inviável

Por sua vez, o secretário-geral do partido, Doático Santos, defende que a aliança com o atual prefeito fortaleceria o partido, cuja chapa de vereadores estaria enfraquecida devido à possível candidatura de Greca. “Essa candidatura é inviável e desagregadora, pois Greca não tem identidade com o partido, o que fez com que os candidatos desanimassem de concorrer”.