O representante do PMDB na Comissão Especial que analisará os pedidos de inscrição para a vaga de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) poderá se manifestar pela suspensão do processo. A proposta foi apresentada pelo deputado estadual Nereu Moura, na reunião da executiva estadual do partido.

A Mesa Executiva indicou nesta segunda-feira o deputado Elio Rusch (DEM) como presidente da Comissão Especial e o deputado Hermas Brandão Junior (PSB) será o relator. A Comissão é formada por cinco deputados. O PMDB está representado pelo deputado Caíto Quintana na Comissão, encarregada de analisar os pedidos de inscrição e as impugnações apresentadas às candidaturas.

Moura disse que o partido deve defender a legalidade do processo que resultou na indicação do ex-secretário Maurício Requião para a vaga, agora reaberta por decisão do presidente da Assembleia Legislativa, Valdir Rossoni (PSDB), que considerou irregular a escolha anterior.

Maurício era secretário de Educação do governo quando foi eleito conselheiro em votação na Assembleia Legislativa em 2008. Rossoni alegou que a Assembleia Legislativa votou a indicação de Maurício antes do ato formal de aposentadoria do ex-conselheiro Henrique Naigeboren, que deixaria a vaga em aberto.

Os peemedebistas identificaram na decisão de Rossoni uma estratégia governista para eleger o atual procurador geral do Estado, Ivan Bonilha, para o lugar de Maurício. Como o governo tem maioria em plenário, o procurador teria todas as chances de ser o novo conselheiro, acredita Nereu Moura.

O peemedebista sustenta que a Assembleia Legislativa não pode levar adiante a nova escolha de um conselheiro, enquanto a Justiça não decidir sobre os pedidos de recondução ao cargo feito por Maurício que, logo após a eleição, teve a posse contestada em várias ações judiciais.