Os peemedebistas começam esta semana a definir seus quadros de pré-candidatos às eleições de outubro com reuniões das coordenações microrregionais. São 22 em todo o Estado. A de Ivaiporã marcou seu encontro para domingo, a de Campo Mourão, para o dia 27. E a de Umuarama ainda não definiu data. As demais se reúnem a partir das 9h deste sábado. Em Curitiba, o evento será no Hotel Mabu. Devem participar os secretários estaduais Maurício Requião, Luiz Cláudio Romanelli, Vera Mussi e Edson Strapasson, os deputados Max Rosenmann, Gustavo Fruet, Rafael Greca, Mário Bradock, Alexandre Curi, Vanderlei Iensen, Clayton Kielse e os vereadores Paulo Salamuni e Marcelo Almeida, escolhidos coordenadores pelo partido.

A idéia é apresentar os pré-candidatos e discutir a questão das alianças, que é especialmente polêmica em Curitiba, onde o PMDB está dividido entre o lançamento de candidatura própria e a aliança com o PT já no primeiro turno, em torno da candidatura do petista Ângelo Vanhoni. A discussão promete esquentar porque entre os coordenadores estão os dois principais defensores da aliança, os secretários Maurício Requião e Luiz Cláudio Romanelli, e seus dois principais adversários, os deputados Gustavo Fruet e Rafael Greca, ambos pré-candidatos à sucessão do prefeito Cassio Taniguchi (PFL).

O deputado Gustavo Fruet pretende aproveitar a oportunidade para relatar o que ocorreu no encontro do PMDB nacional em São Paulo e defender a candidatura própria do partido em Curitiba. Ele entende que o PMDB não pode deixar de refletir sobre seu futuro como partido: “Projetos, quadros, militância, estratégias. Tudo deve ser analisado pelo partido sem esquecer que Curitiba representa 30% do eleitorado paranaense, índice que pode decidir uma eleição estadual. Os programas eleitorais em rádio e televisão em Curitiba acabam irradiando para toda a Região Metropolitana e para outras regiões do Estado, ampliando a difusão do nosso discurso. Isso tem um efeito que atinge o Estado todo. Como vamos aproveitar esse espaço importante sem um candidato próprio?”, indaga o parlamentar.