O ex-prefeito e deputado Luiz Eduardo Cheida anunciou apoio para o tucano Hauly (no detalhe) em Londrina. (Foto: Chuniti Kawamura e Agência Câmara)

O PMDB, do governador Roberto Requião, caminha para estar ao lado do PSDB nos dois municípios paranaenses em que as eleições serão definidas no segundo turno. Se, em Ponta Grossa, o partido ainda estuda o apoio ao prefeito Pedro Wosgrau, tucano candidato à reeleição, em Londrina o partido já anunciou não só apoio como adesão à campanha do deputado federal do PSDB Luiz Carlos Hauly.

O anúncio foi feito ontem pelo presidente municipal do partido em Londrina, deputado estadual Luiz Eduardo Cheida, candidato à prefeitura no primeiro turno, que ficou na quarta posição com 9,08% dos votos. Segundo Cheida, a decisão foi tomada em plenária da diretoria executiva do partido, na noite de quinta-feira.

O deputado disse que a decisão foi motivada “principalmente pelo fato de que a candidatura do Hauly aponta para o futuro e não para o passado”. O presidente do PMDB local destacou também a seriedade das propostas do candidato tucano e seu compromisso com a Educação. E Cheida prometeu que a adesão à campanha não ficará só no anúncio do apoio.

“Vamos à luta juntos”, declarou, prometendo participar ativamente da campanha. Além do PMDB; PTB, PPS, PV, PTC e PTN já aderiram à campanha tucana. Até agora, nenhum partido derrotado no primeiro turno anunciou apoio à candidatura de Antonio Belinati (PP). As decisões do PT e do PDT devem ser anunciadas neste sábado.

Em Ponta Grossa, o PMDB municipal adiou para a próxima semana uma decisão sobre a postura no segundo turno, mas as conversas estão bastante adiantadas com o prefeito Pedro Wosgrau.

“O PMDB tem uma dívida com o prefeito Wosgrau, que apoiou o governador Requião no segundo turno em 2006 e foi decisivo para sua reeleição ao governo do Estado. Eu, pessoalmente, simpatizo com a candidatura do prefeito, mas a decisão cabe ao diretório municipal”, disse o líder do PMDB na Assembléia Legislativa e vice-presidente estadual da legenda, Luiz Claudio Romanelli.

Para o deputado, “os tucanos no Paraná não são hegemônicos. Há diversas correntes políticas dentro do PSDB e essas pessoas que estão concorrendo têm afinidade com o PMDB.

Não vejo nenhuma dificuldade em apoiá-los”. O presidente do PMDB de Ponta Grossa, Rogério de Paula Quadros, não quis comentar as negociações dizendo apenas que, “semana que vem tudo estará definido”.

Em Ponta Grossa, o quadro de alianças está mais dividido. Enquanto Wosgrau já tem apoio do PSB e aguarda a confirmação do PMDB, Sandro Alex (PPS) já recebeu a declaração de apoio do PV e espera a adesão do PT e do PDT a sua campanha.

Outra definição bastante aguardada é quanto a postura a ser tomada pelo PTB, do deputado estadual Jocelito Canto (terceiro lugar no primeiro turno). Os 48.384 recebidos por Jocelito devem ser decisivos na eleição. O deputado promete decidir se apoiará algum candidato neste final de semana.