enkontra.com
Fechar busca

Política

Pessuti apregoa novo “estilo de governar”

  • Por Roger Pereira

O governador Orlando Pessuti (PMDB) aproveitou boa parte da “Escola de Governo” de ontem para apresentar um balanço dos seus primeiros 100 dias no comando do Estado. Na apresentação, Pessuti, mais uma vez, deixou claro seu rompimento com o antecessor Roberto Requião (PMDB). Apesar de ter acompanhado Requião por sete anos no governo, Pessuti apresentou seus primeiros 100 dias (ontem completou 110) como “um novo jeito de administrar o Paraná”, tendo “no diálogo e na negociação as suas principais características”.

“São muitas realizações e um novo estilo de governar. Nesses pouco mais de 3 meses, o governador Orlando Pessuti assinou 155 decretos e dois projetos de lei na área orçamentária que possibilitaram a liberação de R$ 1,9 bilhão”, iniciou o vídeo apresentado por Pessuti, que destacou o fim da multa imposta ao Paraná por conta dos títulos podres adquiridos no processo de privatização do Banestado, a interiorização da administração, as negociações para confirmar a Copa do Mundo de 2014 em Curitiba e a aprovação de dotação orçamentária para a implantação da Defensoria Pública no Paraná. “Um marco do novo estilo de governar foi a aprovação de lei para que o Colégio Estadual do Paraná realize eleições para a escolha da diretoria com a participação de toda a comunidade escolar”, diz o vídeo.

Ao comentar a produção exibida, Pessuti disse que seu governo se caracteriza pela parceria com outras lideranças e pelo diálogo, mesmo com adversários políticos. “Foi deste modo que, aliados a senadores e deputados federais, acabamos, em 28 dias, com uma pendência de aproximadamente seis anos, que era a multa do Paraná decorrente da malfadada venda do Banestado”, disse.

Mas, na sequência, o Pessuti acabou fazendo um elogio, mesmo que não intencional à gestão de seu antecessor, ao comentar que o modelo de gestão adotado pelo Governo do Paraná é referência para outros países. “Os Estados Unidos estão debatendo um programa para fomento da micro e pequena empresa. No Paraná, isso já é tradição”, comparou, recorrendo a uma ação do governo Requião.

Pessuti e Requião romperam o bom relacionamento a partir das primeiras mudanças promovidas pelo novo governador em sua equipe de governo. Ao retirar do cargo secretários da confiança de Requião, Pessuti irritou seu antecessor, que fez críticas públicas e ironias ao sucessor. Requião também é apontado como um dos agentes de bastidores contra a candidatura de Pessuti à reeleição. Pessuti, enquanto isso, seguiu demitindo aliados de Requião do governo. O mal-estar chegou ao ponto de os dois se alternarem nas programações de campanha da chapa de Osmar Dias (PDT), para evitarem o constrangimento do encontro.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Últimas Notícias

Mais comentadas