Foto: Aliocha Maurício
Correligionários do PDT se
reuniram ontem, em Curitiba.

Durante encontro estadual do PDT, realizado ontem, no Círculo Militar, em Curitiba, o senador Osmar Dias disse que ainda tem pendências a resolver com o PSDB, antes de fechar o acordo para apoiar a reeleição do prefeito Beto Richa (PSDB) à Prefeitura de Curitiba. Presidente estadual do partido, o senador pedetista quer de Beto o compromisso de lealdade do vice-prefeito Luciano Ducci (PSB) ao candidato do grupo à sucessão estadual de 2010.

Osmar disse que o PDT não quer a vaga de candidato a vice-prefeito. ?O PDT só quer discutir qual será o comportamento do vice na eleição de 2010?, afirmou o pedetista. Em 2006, Ducci apoiou a reeleição do governador Roberto Requião (PMDB) no primeiro turno e se manteve neutro no segundo turno, quando Beto aderiu à candidatura de Osmar.

Independente de quem seja o candidato à sucessão de Requião, o senador pedetista afirmou que deve haver o compromisso dos aliados de 2008 de subirem no mesmo palanque. ?Nós queremos o compromisso do Beto?, afirmou Osmar. Ele disse que o PDT concorda em discutir outros nomes que não o dele para ser candidato ao governo, mas deixou claro que está à disposição. ?Em 2006, fui candidato convocado. Agora, basta ser convidado?, afirmou.

Acordo fechado

Com o DEM, os pedetistas já têm acordo fechado para 2008 e 2010. O presidente do DEM, deputado federal Abelardo Lupion, disse que os dois partidos negociam alianças para as eleições municipais, não apenas em Curitiba, mas em todo o Estado, atreladas já ao compromisso de candidatura única em 2010. ?A eleição de 2010 será conseqüência do apoio de 2008. O PSDB tem que entender que só fecha agora em 2008 quem fechar em 2010. Tudo depende dessa aliança?, comentou Lupion.

Em Curitiba, o DEM tem uma pré-candidatura a prefeito, a do deputado estadual Osmar Bertoldi. Entretanto, a negociação que se dá nos bastidores contempla a possibilidade de Bertoldi se transformar no candidato a vice-prefeito de Beto Richa, caso Ducci perca a vaga.

O presidente estadual do PSDB, Valdir Rossoni, e o prefeito de Curitiba participaram do encontro. Ao chegar, Beto evitou falar sobre alianças, justificando que ainda não está tratando de sua candidatura à reeleição. Ao discursar, entretanto, afirmou que a aliança entre os três partidos é ?natural?.