Foto: Fábio Alexandre

Rossoni: no comando da ofensiva.

O líder da oposição, deputado Valdir Rossoni (PSDB), fez uma convocação geral no final de semana para o encontro que vai comandar amanhã para pressionar o governo estadual a liberar recursos para a Prefeitura de Curitiba. Rossoni pretende fazer uma versão local do movimento com as várias forças políticas do Estado que o governo estadual organizou em Brasília, na semana passada, para pedir ao governo federal que cancele as multas pelo não pagamento dos títulos públicos podres assumidos durante o processo de venda do Banestado para o Itaú.

Rossoni quer reunir lideranças de vários partidos no plenarinho da Assembléia Legislativa, a partir das 9h, para apresentar as reclamações da Prefeitura, que acusa o governo estadual de discriminar o município, porque o prefeito Beto Richa (PSDB) apoiou o senador Osmar Dias (PDT) na disputa eleitoral do segundo turno, no ano passado. ?Vai ser um importante teste para a disposição cívica dos políticos da capital. A população vai ver e medir a atitude de seus representantes. Vai enxergar claramente quem coloca os interesses maiores de Curitiba acima de picuinhas paroquianas e dos caciques políticos transitórios?, disse o deputado.

O governo do Estado suspendeu repasses de recursos para a capital com a justificativa de que o município não paga a dívida feita há 30 anos, quando foi implantada a Cidade Industrial de Curitiba. Já a Prefeitura alega que os recursos postulados, do Fundo de Desenvolvimento Urbano de Curitiba, não são liberados a fundo perdido. Conforme a liderança do governo, são parcerias em que o governo entra com uma parte dos recursos e o município oferece sua contrapartida. A Prefeitura informou que são R$ 64 milhões referentes a convênios com a prefeitura de Curitiba para financiar obras como o Hospital Geriátrico, o Anel Viário e pavimentação de ruas.