Apesar das tentativas, os partidos da oposição ao governo da Bahia, comandado pelo petista Jaques Wagner, ainda não conseguiram articular uma candidatura única para a disputa pela prefeitura de Salvador.

Os pré-candidatos das legendas, o deputado ACM Neto (DEM), o ex-prefeito e deputado Antonio Imbassahy (PSDB) e o ex-prefeito e radialista Mário Kertész (PMDB), reivindicam para si a cabeça de chapa. Para isso, tentam atrair partidos da base governista para engrossar as candidaturas, como o PR, do ex-governador César Borges, e o PP, do atual prefeito soteropolitano, João Henrique Carneiro.

O PT já tem candidato definido para a eleição, o deputado Nelson Pellegrino, mas pode ter a concorrência de outros partidos da base, como o PC do B, que afirma lançar a candidatura da deputada Alice Portugal, e o próprio PP, que tem o secretário municipal da Casa Civil, João Leão, como pré-candidato.

No segundo maior colégio eleitoral do Estado, Feira de Santana, a disputa parece estar centrada entre três candidatos: o atual prefeito Tarcízio Almeida (PDT), que concorre à reeleição, o ex-prefeito José Ronaldo (DEM), antigo padrinho político de Almeida, e o líder do governo na Assembleia Legislativa, Zé Neto (PT).