A advogada Roberta Maria Rangel fez, no Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), a defesa do ex-líder do governo na Câmara dos Deputados, Professor Luizinho, acusado de participação no esquema do mensalão. E disse que na denúncia "os fatos não levam à autoria crime pelo professor", assegurou.

Roberta lembrou que o denunciado foi absolvido na Câmara e apontou defeitos na denúncia. Um deles seria a falta de premissas e a profusão de conclusões. O ex-deputado é acusado de cometer crime de lavagem de dinheiro e a advogada alega que o único motivo de ele ser citado, na única premissa exposta, é o fato do ex-parlamentar ser, à época, líder do partido.